sexta-feira, 19 de junho de 2015

Inesperadamente tivemos uma noite espetacular

A meio da tarde surge uma mensagem desafiadora no telemóvel da Maria: "Vamos tirar fotos?"

Resposta pronta e rápida: "Vamos!"

A tarde passou e nem houve muito tempo para pensar sobre o assunto...

Quando o José chegou a casa, depois dos cumprimentos habituais que fazemos questão de os preservar, o José diz: "Podemos ir tirar fotos, mas também passar no ZZZ para ver um filme erótico de técnicas de submissão... vai ver ao site".

E como a noite não dá para tudo, optámos por ir ver o filme, afinal de contas há algum tempo que não íamos ao cinema e nunca tínhamos visto um filme deste género para além do nosso sofá.

Correria atrás de correria e lá nos despachámos a tempo...

Chegámos ao ZZZ com uns 5 minutos de atraso, o filme tinha acabado de começar... dissemos boa noite e para não incomodar muito sentámo-nos o mais rápido que conseguimos...

Passámos os olhos rapidamente pela sala e vimos que estavam,  para além do XY e da XX,  1 rapariga e 1 rapaz e mais tarde ainda entrou 1 casal.

O filme, como já dissemos era relacionado com as técnicas de Submissão:
Introdução: uma rapariga gira e muito bem depilada quis experimentar a arte da submissão, acordaram os planos entre ambos - valeu tudo menos anal... e lá se aventuraram...
Desenvolvimento: Foram várias as técnicas de submissão, desde ela presa à cama de pés e mãos completamente atadas, primeiro a ser explorada com chicotadas e depois pelo pau enorme do rapaz; ela deitada sob a cama, desta vez de barriga para baixo, completamente submissa a ele; ela em suspensão a ser fodida por ele, quer vaginalmente quer oralmente.
Conclusão: ela a analisar a experiência como que excedendo as suas expetativas e que voltaria a fazer.

Análise da Maria:
O que mais me seduz e até já é praticável entre nós, no que toca ao BDSM, são as palmadinhas e as chicotadas... este meu rabo aguenta muito...
Gosto de ser amarrada, mas tem dias....
Posso dizer que gostei de ter sido suspensa e que até utilizassem em mim o brinquedo vibrador... Gosto da parte estética do BDSM, como o uso das cordinhas para embelezar o corpo.
Mas este filme ia para lá do meu tolerável, no que toca ao BDSM... digamos que era um nível superior... o qual prefiro estar como Vouyer e não me imagino como participante.
Como Vouyer surgiu em mim uma nova fantasia - estar em suspensão e a ser fodida pelo José... Deve ser uma sensação brutal!!

Análise do José:
O filme era interessante... o controlo produzido pelo dominador, a submissão que a rapariga sentia passava para cá da tela... Cada cena que acontecei dava-me várias ideias, algumas delas já vou colocando em prática, outras podiam também ser adotadas...
No entanto a violência física na cena era demasiada para mim, dar umas chicotadas, umas palmadas, um amarrar ou condicionar os movimentos, controlar a altura em que o outro pode ter o orgasmo... são coisas que gosto e que já fui fazendo... mas bater nas mamas ou na barriga, com aquela força já era demais...
 Mas o que mais me atraiu e isso ainda não consegui explorar melhor foi o perceber e ver  na prática que apesar de tudo, quem tem o controlo neste ambiente é a submissa.
Apesar dela fazer tudo o que o dominador quer, este sabe que nunca pode ultrapassar os limites da submissa. Realmente quem estava a ser satisfeito era a submissa... Parece estranho dizer isto mas é verdade... quem estava a ter o prazer era quem estava amarrado e submisso ao outro!
Além do mais... e não foi usada durante o filme, a submissa que ultrapassar o seu limite tem uma palavra chave, combinada entre os dois (e foi feito durante o inicio do filme) que pararia tudo logo ali.

Assim que o filme terminou, o rapaz e pouco depois a rapariga acabaram por se ir embora... uns minutos depois o casal... ficámos nós, a XX e o XY a acabar a nossa bebida e a conversar um pouco.

De repente, e a Maria nem percebendo como é que o momento surge, o José já estava com dois paus chineses na mão, e com uma vontade de os meter nos bicos da Maria... até que o XY comenta algo do género: "se bem me lembro tens uns bicos bons para isso... " após a provocação surge a pergunta desafiadora: "Só estamos aqui nós, queres experimentar ou não tens coragem?"... a Maria retorquiu: "Tenho coragem para isso e muito mais" - será que também ele já se apercebeu que adoro ser provocada???

Vestido para baixo e mamas ao léu,  lá se entreteram os meninos a colocar os pauzinhos chineses nos bicos da Maria... por momentos senti as minhas maminhas orientais... um verdadeiro sushi :) E a seguir vieram os cubos de gelo, em que tornavam os biquinhos ainda mais definidos e até apetecíveis. 

A sensação foi de facto muito boa... o meu tronco estava lindo com água a escorrer e aqueles dois pauzinhos colocados estrategicamente... para além de não aleijar dava uma estética bastante interessante e vê-los focados nos meus mamilos foi excitante... é claro que depois desta experiência nunca mais vamos ver o sushi da mesma maneira lol

O momento começa a aquecer...  o XY e a XX começaram na troca de uns beijinhos e carícias e nós também não ficámos atrás, embora a Maria um pouco mais timidamente. De repente, o XY diz que tem um chicote novo e convida-nos a mudar de sala.

Aquele chicote era agradável à vista... parecia pertencer ao tempo dos reis... o seu aspeto era parecido com este mas com toque ainda mais requintado e nobre:
A Maria aproximou-se da marquesa quadrangular e com as pernas esticadas e rabo à vista, começou a levar umas chicotadas do XY... a XX ficou a ver e o José foi até ao bar buscar mais gelo para provocar ainda mais.

Depois, o chicote passa para as mãos do José e o XY passou para a frente para brincar mais um pouco com os pauzinhos chineses... aqui confesso que estava um pouco tímida não o encarando muito com o olhar... de repente, a Maria sai-se com esta, que até surpreendeu o José (e até a ela): "Isto para ser justo a XX também deveria  de vir para aqui".

O XY foi ter com a nossa vouyer para a provocar e quando dei conta só vi a XX com os braços esticados na marquesa quadrangular, onde a Maria se encontrava deitada... (...)  Estivemos assim uns pequenos minutos enquanto o José se entretia com a coninha da Maria e o XY com o corpo da XX... O XY e a XX depois foram para o cama ao lado enquanto nós continuámos entretidos em cima na marquesa quadrangular... a Maria escorria de prazer... aquele local mágico estava a desafiar a nossa vontade e nós só o aproveitámos... depois do José oferecer 3 orgasmos à Maria foi a vez dela oferecer-lhe um orgasmo através de uma oral e ainda saborear um pouco do seu leitinho.

A brincadeira continuava entre eles (...) vimos o  XY em cima da XX, a foderem (...).
Assim que terminaram o maravilhoso serviço, recompuseram-se e fomos até ao bar pois a sede era demais.

A XX sempre nos chamou à atenção, o seu corpo jovem, belo e sedutor desde sempre que nos agradou e nunca nos foi indiferente.

O XY é simpático, giro,  inteligente e sempre sedutor... sempre que nos vê diz uma palavra amiga, carinhosa e sedutora. Tem o dom de conseguir, com o passar dos tempo, tornar-se ainda mais interessante!

 E, inesperadamente tivemos uma noite espetacular!

3 comentários:

  1. Olá!
    Bem... e quando já pensávamos que não nos voltariam a surpreender tão cedo... VOILÁ!!!!
    Mais uma aventura, daquelas que dificilmente nos imaginamos fazer! Vocês são muito à frente! LOL

    Beijaços
    Vénus e Pepe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

      Eliminar
  2. Curta nosso blog

    http://amorpoliandrico.blogspot.com/2015/06/como-transformei-minha-mulher-em-puta-2.html?m=1

    ResponderEliminar